Índice de Confiança de Serviços atinge novo piso histórico

De acordo com a Fundação Getulio Vargas, a confiança nos serviços atingiu novo piso histórico da série ao registrar 80,7 pontos para os dados dessazonalizados, o que representa queda de 4,5% no mês. Mantida a base de comparação, o Índice de Confiança no Presente também apresentou queda, de 8,0% e o Índice de Expectativas variou -2,4%.

Na série original (sem ajustes sazonais), o índice agregado é de 79,2 pontos e também é o menor da série histórica. Na comparação interanual (contra maio do ano anterior) houve recuo de 26,0%. Na mesma análise, o Índice da Situação Atual e o Índice de Expectativas caíram 39,6% e 15,7%, respectivamente.

Desde meados do primeiro semestre de 2014 temos observado uma mudança no comportamento do índice, que se descolou da média histórica e vem apresentando quedas sucessivas nas variações interanuais.

Combinado fatores como inflação persistentemente alta, juros elevados, piora no mercado de trabalho, entre outros fatores, a confiança de serviços ainda deverá se manter em níveis baixos por algum tempo, com possível inflexão somente em meados de 2016.

O gráfico abaixo nos mostra a evolução da confiança no setor de serviços ao longo dos últimos anos.

ics2

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…