Em maio receita nominal de serviços cresce apenas 1,1%

Em termos reais, a receita no setor caiu 4,2%, para o resultado acumulado em 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE divulgada hoje, a receita nominal de serviços obteve alta de apenas 1,1% na comparação de maio contra o mesmo mês do ano anterior. No resultado acumulado em 12 meses, a variação da receita nominal foi de 3,8%, perpetuando a sequência de desaceleração observada desde o início de 2014. Em termos reais, ou seja, retirando o efeito da inflação no setor, houve queda de 4,2%, também para o acumulado em 12 meses.

Os principais grupos ficaram configurados da seguinte forma na variação acumulada em 12 meses: Serviços prestados às famílias (passou de 6,9% em abril para 5,9% em maio); Serviços de informação e comunicação (passou de 1,5% em abril para atuais 1,1%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (desacelerou 0,2 p.p. atingindo 7,7%); Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (passou de 4,0% em abril para 3,5% em maio); Outros serviços (apresentou desaceleração de 0,4 p.p. em maio, com atuais 4,4%).

O desempenho do indicador em maio representa a 2ª pior colocação da série iniciada em 2012, ficando atrás apenas do resultado de fevereiro deste ano, que atingiu 0,9%.

Quanto à inflação para o setor de serviços, houve desaceleração de 0,1 p.p. na comparação com abril, o que não ajudou na recuperação da variação real do indicador, que acabou por apresentar queda de 4,2%. Esperamos que a tendência de variações reais negativas se prolongue pelos próximos meses e que uma reversão deste quadro tenha início somente em meados de 2016.

pms

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…