Procura do consumidor por crédito recua 1,1% no 1º trimestre de 2014, diz Boa Vista SCPC

Inadimplência no varejo é destaque no editorial do Estadão

Os dados de inadimplência da Boa Vista SCPC novamente foram citados no editorial de economia de um dos principais jornais de circulação diárias do país, o Estado De São Paulo. Cada vez mais, a credibilidade dos dados da Boa Vista tem chamado atenção do mercado financeiro e para o varejo.

De forma gratuita, disponibilizamos os dados periodicamente (o calendário de eventos pode ser visualizado no site: http://www.boavistaservicos.com.br/economia/). Tanto por parte das empresas, que aprimoram seus os modelos de previsão, quanto por parte dos consumidores, que passam a coordenar melhor suas expectativas de consumo e finanças domésticas, os dados contribuem para o acesso a um maior nível de informação para sociedade.

Em tempos de incerteza sobre o andamento da economia e seus rumos, nossos dados colaboram para um maior enriquecimento sobre este cenário. Sendo assim, nos vemos em uma posição de fundamental importância não só para a economia, mas também para o cidadão brasileiro.

O acesso direto à publicação pode ser realizado através do seguinte link: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,o-que-sugere-o-surto-de-inadimplencia-no-varejo-imp-,1509150

Abaixo, segue réplica da nota:

Os registros de inadimplência geral caíram 6,8% no mês de maio, em comparação com abril. A informação é da Boa Vista, do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SBPC). Houve queda, também, de 1,4%, na comparação com maio do ano passado. Duas informações aparentemente positivas, no sentido de melhor higidez no mercado de crédito, embora os dados de mais longo prazo, isto é, dos 12 meses encerrados em maio, comparados com os 12 meses anteriores, tenham oferecido um ligeiro aumento da inadimplência geral, de 1,8% para 1,9%.

De qualquer forma, o índice de variação acumulada em 12 meses mantém-se em nível tolerável, abaixo de 3,0%, mas aumentando nos últimos três meses.

Embora estejamos muito abaixo da curva de altas de inadimplência assinalada do início de 2011 até início de 2013, o fato é que ela voltou a se manifestar, numa fase em que deveria estar sob maior controle, pois, os bancos, em virtude mesmo daquelas grandes altas, adotaram desde o início de 2013 critérios de maior rigor no exame do crédito. Tanto assim que o governo passou a exortar o sistema bancário privado a oferecer mais crédito e colocou os bancos públicos a serviço dessa política. Mas foi em boa parte em função daquela atitude mais rigorosa dos bancos privados que os níveis de inadimplência caíram ao longo de 2013 e se apresentam hoje em escala suportável.

O governo, no entanto, insiste em uma política de facilitário no que se refere ao crédito em geral, e o próprio ex-presidente Lula, adepto – provavelmente sem o saber – de uma consumption ou demand side economics, concita as atuais autoridades econômicas a gastar “um pouco mais” e a dar mais crédito.

Mas o indicador de inadimplência, no curto prazo, que caiu 6,8% em maio, no que se refere ao crédito geral, aumentou 11,6% no mesmo mês, no que se refere ao varejo. Ou seja, no crédito oferecido pelas lojas, com respaldo do sistema financeiro, nas habituais compras a prazo “sem juros”.

As causas do aumento desse tipo de inadimplência decorrem, evidentemente, da queda na atividade econômica em geral, da queda no nível de emprego e de reajustes salariais menos condescendentes nos últimos meses.

Em última análise, resultam do esgotamento gradual da propensão a consumir devido ao  estreitamento, também gradual, das margens de ganhos de renda.

 

Posts relacionados

Número de novas empresas cai 3,8% no 2º trimestre

No 2º trimestre de 2017 o número de novas empresas caiu 3,8% em relação ao trimestre anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Assim, o resultado configura a primeira queda para esse trimestre desde o início da série histórica (2003). Ainda assim, os valores acumulados no…

Vendas para o dia dos pais recuam 0,5% em 2017

As vendas do comércio para o dia dos pais diminuíram 0,5% em 2017 quando comparadas a 2016, segundo dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O recuo das vendas nesta data foi mais fraco do que o observado em 2016, quando o comércio retraiu 5,2% em relação ao mesmo período de…

Recuperação de crédito cai 1,7% no acumulado 12 meses

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 1,7% na variação acumulada em 12 meses (agosto de 2016 até julho de 2017). A variação mensal com dados dessazonalizados apresentou queda de 6,4% contra o mês…