Inflação acumulada em 12 meses atinge 10,71% em janeiro

De acordo com o IBGE, a apuração do resultado da inflação oficial (IPCA) foi de 10,71% em janeiro, considerando os valores acumulados em 12 meses. O registro é o maior resultado desde novembro de 2013, quando a inflação atingiu 11,02%.

Na avaliação mensal, o indicador agregado subiu 1,27%, acelerando 0,31 p.p. na comparação com o resultado obtido em dezembro.  De acordo com a abertura do índice, a categoria que obteve a maior alta no mês foi novamente a de Alimentação e Bebidas, com variação de 2,28%. Transportes também sofreu grandes reajustes, com elevação de 1,77% no mês.

O cumprimento da meta de inflação já mostra-se impraticável, com o mercado prevendo níveis acima de 7%, de acordo com o boletim Focus do BC divulgado no início da semana. Já com relação aos juros, o cenário mais provável é de que haja, pelo menos, manutenção no atual nível, 14,25%, observada a última decisão da Selic do Banco Central e a sinalização dovish do COPOM.

De olho nos últimos efeitos macroeconômicos, apesar da elevação não chegar ao nível observado em 2015, o ano já começa com baixas expectativas de cumprimento da meta inflacionária, uma vez que o processo desinflacionário não deverá ocorrer tão rapidamente: os preços livres continuam com perspectivas ruins, ocasionada em grande parte por causa das tarifas de serviços – os quais deverão sofrer ainda algum efeito de inércia inflacionária derivada de 2015. Com isso, para este ano projetamos uma inflação próxima de 7%. A ver.

IPCA jan16

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…