Nota de Política Monetária do BC: Inadimplência das famílias com recursos livres abre 2015 em 5,4%, após revisão metodológica

O Banco Central realizou revisão metodológica em sua mais recente nota sobre crédito. Foram alteradas de forma mais substancial as informações sobre taxas de juros, inadimplência, e spreads, além de pontuais ajustes nos saldos, concessões e prazos. Houve também incorporação de informações, que passam a detalhar agora taxas de juros do cartão de crédito. Outra mudança importante foi a desagregação dos saldos de crédito por setor de atividade econômica, em conformidade com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE, do IBGE). Adicionalmente, houve melhoria das informações de âmbito regional, além de passarem a contemplar os excessos sobre os limites contratuais dos correntistas nas modalidades de cheque especial e conta garantida.

Assim, o estoque total de empréstimos e financiamentos passou para RR$3.013 bilhões em janeiro, desacelerando 0,4 p.p. na variação interanual, atingindo 11% em 12 meses. Com este resultado, a relação crédito/PIB passou para 55,7% (retração de 3,1 p.p. frente a dezembro). Observando as principais categorias, o estoque de crédito com recursos livres cresceu 5,1% em 12 meses, perpetuando sua desaceleração também evidenciada antes dos ajustes metodológicos. Já o crédito direcionado aumentou, 0,5% no mês, atingindo crescimento em 12 meses de 18,2%.

A inadimplência geral do sistema financeiro na nova série permaneceu praticamente no mesmo patamar observado anteriormente. Em janeiro, o montante total de inadimplência atingiu 2,86% do sistema. No segmento livre, contudo, houve importante alteração. Na média geral, foi observada diferença de 0,4 p.p., atingindo 4,47% em janeiro, enquanto na subcategoria destinada às famílias a descontinuidade foi mais abrupta, de cerca de 1 p.p., marcando 4,47%. Nos recursos da subcategoria destinado às empresas houve manutenção do patamar, com 3,51% de inadimplência. Já nos recursos direcionados, as mudanças foram pequenas: total registrou 1,06%, pessoas físicas 1,73% e pessoa jurídica 0,53%.

Com a incorporação dos dados sobre cartões de crédito, as taxas de juros sofreram significativas alterações. Enquanto na última divulgação o nível era de 20,9%, em janeiro houve um salto para 25,1%. Os spreads, consequentemente, também elevaram-se em cerca de 4 p.p., atingindo 16,2%.

saldo e concessão

 

Inadimplencia

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,79% em agosto

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 1,79% em agosto, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,34 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente a julho (quando o nível foi de 1,90%),…

Para 46% dos consumidores, o Cadastro Positivo tem como principal benefício auxiliar na obtenção de crédito e contratação de financiamentos

Em pesquisa inédita com consumidores de todo o Brasil, a Boa Vista SCPC identificou que para 46% dos entrevistados, o Cadastro Positivo tem como principal objetivo auxiliar na obtenção de crédito e na contratação de financiamentos. Outros 26% acreditam que o banco de dados com informações positivas sobre consumidores classifica de forma mais assertiva e…

Movimento do Comércio sobe 2,2% em agosto

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 2,2% em agosto quando comparado a julho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (setembro de 2016…