PME: Desemprego melhora em novembro, mas rendimentos pioram drasticamente

De acordo com o IBGE, a taxa de desemprego em novembro registrou 7,5%, menor em 0,4 p.p. com relação a outubro, mas mantém a maior taxa para o mês desde 2008, superando em 2,7 p.p. o número divulgado para o mesmo período em 2014. Já em termos dessazonalizados, o desemprego subiu: passou de 7,9% registrados em outubro para atuais 8,2%.

Para as regiões metropolitanas ficou a seguinte configuração: Belo Horizonte (6,1%), São Paulo (7,4%) e Porto Alegre (6,7%), Recife (10,8%) e Salvador (12,3%).

Com relação aos rendimentos reais, o valor médio habitual real foi de R$ 2.177,20, caindo 3,1% na variação acumulada em 12 meses. Na variação interanual a retração foi de 8,8%.

A pequena recuperação mensal da desocupação ainda mostra-se bastante tímida comparada à grande deterioração do mercado de trabalho sofrida ao longo de 2015. De fato, a análise com ajuste sazonal mostra continuidade da elevação do desemprego, movimento condizente com a grande deterioração do rendimento real:  a variação acumulada em 12 meses mostrou queda de 1 p.p. nos dados de novembro quando comparado ao mês anterior.

Tais informações deverão ser acompanhadas com cautela durante as próximas aferições, uma vez que os dados do mercado de trabalho podem fornecer um melhor diagnóstico sobre a atual recessão econômica. Não havendo ainda perspectivas de recuperação econômica no curto prazo, esperamos que o desemprego calculado pela PME atinja uma média de 6,9% para este ano e 8,0% para o próximo ano. O rendimento real, por sua vez, deverá encerrar este ano em torno de -3,5% (na variação acumulada em 12 meses) e em 3,0% para 2016, mantida base de comparação.

pme nov15

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atingiu 2,07% em janeiro, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,07% em janeiro de 2017, registrando diminuição em relação a janeiro de 2016, quando alcançou 2,35%. O percentual de cheques devolvidos sobre movimentados também recuou na comparação mensal, (em dezembro o nível foi de 2,20%), sendo…

Inadimplência do consumidor sobe 3,9% em janeiro, diz Boa Vista SCPC

A inadimplência do consumidor obteve alta de 3,9% em janeiro na avaliação dessazonalizada contra dezembro, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (fevereiro de 2016 até janeiro de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração 1,9%. Já quando comparado o resultado de janeiro contra o mesmo…

Boa Vista SCPC lança o novo visual do Score de Crédito

O Score de Crédito da Boa Vista SCPC está de cara nova. Agora, a exibição da pontuação que indica a probabilidade de inadimplência de consumidores e empresas nos próximos meses em relatórios de Pessoa Física e Jurídica consultados via Web*, pelo site www.boavistascpc.com.br, ficou mais intuitiva e fácil de entender. Veja o que mudou:  …