PME: Taxa de desemprego em agosto é a maior em 5 anos

De acordo com o IBGE, a taxa de desemprego em agosto atingiu 7,6% da população economicamente ativa, sendo o maior valor registrado em 5 anos (tal taxa foi registrada pela última vez em março de 2010). O mês superou em 0,1 p.p. o resultado de julho e em 2,6 p.p. o mesmo período de 2014. Todas as regiões metropolitanas tiveram elevação do desemprego, exceto o Rio de Janeiro que recuou de 5,7% para 5,1% em agosto. As demais ficaram com a seguinte configuração: Recife (9,8%), Salvador (12,4%), Belo Horizonte (6,7%), São Paulo (8,1%) e Porto Alegre (6,0%).

Com relação aos rendimentos reais, o valor médio habitual real foi de R$2.185,50, caindo 3,5% na variação interanual. Na variação acumulada em 12 meses, por sua vez, houve queda de 0,7%.

A atual deterioração do cenário econômico começa a repercutir mais incisivamente no mercado de trabalho: agora, além do galopante nível de desemprego, os rendimentos reais começam a mostrar-se negativos. A necessidade de redução dos custos nas empresas tem refletido na queda da População Ocupada (que em agosto registrou -1,8%, pior resultado desde janeiro de 2013), ou seja, mais demissões. Em contrapartida, a combinação entre uma atividade econômica em retração e inflação em patamares elevados acaba por reduzir o orçamento das famílias, levando mais pessoas à procura de trabalho (População Economicamente Ativa apresentou elevação de 0,9% na variação interanual). Com estas perspectivas, estimamos que o desemprego calculado pela PME atinja 9,0% para o final de 2015, enquanto o rendimento real deverá cair em torno de 2,5%.

pme

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…