PNAD: desemprego sobre para 7,4% em fevereiro

De acordo com o IBGE, a taxa de desemprego em fevereiro foi de 7,4%, considerando o último trimestre fechado no mês de referência (dezembro, janeiro e fevereiro). Considerando a mesma base de comparação, houve aumento 0,6 p.p. considerando os dados encerrados em janeiro novembro, dezembro e janeiro). Com relação à população economicamente ativa, em termos interanuais, a PEA aumentou 1,6% no trimestre móvel. Já a população ocupada subiu apenas 0,9% no mesmo período.

O rendimento habitual real no trabalho principal, registrou R$1.767,18, valor 0,1% menor que o registrado em janeiro, considerando a média móvel trimestral encerrada em fevereiro. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, houve alta de 1,1%. Considerando os valores acumulados 12 meses da série de rendimentos (considerando o trimestre móvel declarado nos respectivos meses), houve desaceleração da tendência com relação a janeiro, passando de 1,1% para 0,9%.

Em linhas gerais, o baixo crescimento da população ocupada em comparação com a população economicamente ativa acaba por deixar uma maior parte da população no grupo no desemprego. Os números são condizentes com a desaceleração da economia, cenário de ajuste fiscal e monetário e desconfiança com relação à economia. Adicionalmente, os dados apresentam coerência com relaçao à Pesquisa Mensal de Emprego, que recentemente também apresentou elevação no número de desocupados e desaceleração nos rendimentos reais.

Portanto, ambas pesquisas evidenciam o desaquecimento do mercado de trabalho. O “salto” verificado no desemprego poderá ser amenizado nas próximas aferições, mas dificilmente será revertido. A depender da intensidade dos ajustes econômicos, uma maior onda de desemprego poderá impactar o mercado de trabalho. Por ora, esperamos desemprego de 8,1%, elevação de 1,3 p.p., enquanto para os rendimentos reais, espera-se estabilidade no ano.

pnad

Posts relacionados

Boa Vista SCPC: Demanda por Crédito do Consumidor sobe 4,6% em maio

A demanda por crédito do consumidor subiu 4,6% em maio frente a abril, com o ajuste sazonal, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve desaceleração da…

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…