Receita de Serviços acumula alta de 7,6% em 12 meses

Por Yan Cattani, economista da Área de Indicadores e Estudos Econômicos da Boa Vista SCPC  

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) realizada pelo IBGE, o índice de receita nominal no setor de serviços cresceu 7,6% em julho na análise de longo prazo, isto é, na variação acumulada em 12 meses até o período. Apesar da elevação, o índice desacelerou 0,4 p.p. em relação a junho. Em termos reais – descontados da cesta de serviços do índice inflacionário oficial (IPCA), calculados pela equipe de economia da Boa Vista SCPC – a abertura geral  já apresenta queda de 0,8%, mantida base de comparação.

Analisando as variações reais acumuladas em 12 meses (após descontadas pelas correspondentes aberturas do IPCA), a maior variação foi a do setor de “Informação e Comunicação”, que obteve alta de 6,4% no período. Já o crescimento de “Serviços de transportes, auxiliares aos transportes e correios” foi de 5,5%, enquanto “Serviços prestados às famílias” elevou-se em 3,3%. Na contramão caminharam “Serviços profissionais, administrativos e complementares”  e “Outros serviços”, que obtiveram quedas de -1,3% e -1,9% respectivamente.

Os dados andam em linha com os da Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada recentemente pelo instituto, mostrando também desaceleração do crescimento no longo prazo. O resultado reflete a atual conjuntura econômica de curto prazo, que não é das melhores: inflação em níveis desconfortáveis forçam uma atitude mais enérgica da autoridade monetária, que em diálogo na última Ata do Copom sinalizaram tal tendência. Ademais, independentemente do resultado das eleições, o ajuste fiscal deverá ser o cenário base do próximo Governo, uma vez que todos candidatos declararam a necessidade de um maior controle das finanças públicas. Diante deste cenário, a desaceleração do crescimento nominal da receita no setor de serviços deverá intensificar-se até o final do ano, podendo obter alguma reversão após o primeiro semestre de 2015.

 

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

Número de novas empresas cai 3,8% no 2º trimestre

No 2º trimestre de 2017 o número de novas empresas caiu 3,8% em relação ao trimestre anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Assim, o resultado configura a primeira queda para esse trimestre desde o início da série histórica (2003). Ainda assim, os valores acumulados no…

Vendas para o dia dos pais recuam 0,5% em 2017

As vendas do comércio para o dia dos pais diminuíram 0,5% em 2017 quando comparadas a 2016, segundo dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O recuo das vendas nesta data foi mais fraco do que o observado em 2016, quando o comércio retraiu 5,2% em relação ao mesmo período de…