Receita nominal de Serviços tem pior setembro da série histórica

Em termos reais, a receita no setor caiu 5,3%, para o resultado acumulado em 12 meses.

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE, a receita nominal de serviços obteve o pior resultado para setembro da série histórica iniciada em 2012, com estabilidade na comparação contra o mesmo mês do ano passado. No resultado acumulado em 12 meses, a variação da receita nominal foi de 2,5%, desacelerando 0,5 p.p. em relação ao resultado de agosto. Em termos reais, ou seja, retirando o efeito da inflação no setor, houve queda de 5,3%, também para o acumulado em 12 meses.

Há dois meses o IBGE também passou a divulgar o volume de serviços, que em setembro registrou queda de 4,8% na comparação com o mesmo período de 2014. Mantida a base de comparação, os resultados de julho e agosto foram de -4,2% e -3,5%, respectivamente. A queda acumulada no ano atinge 2,8% e o acumulado em 12 meses apresentou retração de 1,8%.

Os principais grupos ficaram configurados da seguinte forma na variação acumulada em 12 meses: Serviços prestados às famílias (passou de 3,9% em agosto para 3,2% em setembro); Serviços de informação e comunicação (passou de 0,4% em agosto para atuais 0,2%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (desacelerou 1,0 p.p. atingindo 5,8%); Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (passou para 2,8% em setembro); Outros serviços (apresentou desaceleração de 1,0 p.p. em setembro, com atuais 1,3%).

Apesar do volume de serviços ter diminuído consideravelmente em setembro (-4,8%), a queda da receita real (retirando os efeitos da inflação) tem sido ainda mais agressiva (-5,3%). Isto é, apesar do barateamento dos preços do setor de serviços, o ritmo de vendas permanece negativo, efeito que deverá perdurar até meados de 2016.

pms

Posts relacionados

Para 46% dos consumidores, o Cadastro Positivo tem como principal benefício auxiliar na obtenção de crédito e contratação de financiamentos

Em pesquisa inédita com consumidores de todo o Brasil, a Boa Vista SCPC identificou que para 46% dos entrevistados, o Cadastro Positivo tem como principal objetivo auxiliar na obtenção de crédito e na contratação de financiamentos. Outros 26% acreditam que o banco de dados com informações positivas sobre consumidores classifica de forma mais assertiva e…

Movimento do Comércio sobe 2,2% em agosto

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 2,2% em agosto quando comparado a julho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (setembro de 2016…

Boa Vista SCPC reúne especialistas para debater avanços e benefícios econômicos do Cadastro Positivo

A Boa Vista SCPC recebeu autoridades como Oscar Madeddu, do Banco Mundial, João André Pereira, do Banco Central do Brasil e César Calomino, da Equifax do Uruguai, para falar sobre o Cadastro Positivo e os seus impactos econômicos e sociais, inclusive em países em desenvolvimento onde já é uma realidade. Estes convidados também salientaram a…