Varejo atinge em maio o primeiro resultado negativo no acumulado em 12 meses desde março de 2004

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo IBGE, o volume de vendas no varejo restrito caiu 0,5% no resultado acumulado em 12 meses. Para este tipo de comparação foi o primeiro resultado negativo desde março de 2004, quando registrou 0,6% de queda. Os demais resultados apurados para o mês também fecharam em patamar negativo, no acumulado do ano houve recuo de 2,0% contra o mesmo período do ano passado, e na análise mensal dos dados dessazonalizados a retração foi de 0,9%.

Dentre as oito categorias, mantida a base de comparação, apenas três alcançaram variação positiva e o destaque ficou com “Materiais para escritório”, que registrou alta de 5,5%. Os demais segmentos ficaram configurados da seguinte maneira: “Tecidos, vestuário e calçados” (2,7%), “Outros” (1,7%), “Combustíveis e lubrificantes” (-0,1%), “Artigos farmacêuticos” (-0,4%), “Hipermercados e supermercados” (-1,1%), “Móveis e Eletrodomésticos” e “Livros, jornais revistas e papelaria” com (-2,1%). O resultado ampliado do varejo, isto é, incluindo as vendas de materiais de construção e de veículos automotores, registrou queda de 1,8%.

A fraca atividade do varejo reflete em grande parte os efeitos da pressão inflacionária e baixa confiança na economia. O resultado de maio apresenta a primeira variação negativa desde março de 2004 para o acumulado em 12 meses, evidenciando rápida mudança do comportamento de consumo para 2015. O cenário pessimista perdurará para este ano e sinais de melhora são esperados apenas para 2016. Por ora, nossa projeção de retração do setor fica em 1,0% nas vendas varejistas restritas e queda de 5,0% para o conceito ampliado, ambas perspectivas com viés de baixa.

Abaixo gráfico com a evolução das séries dessazonalizadas da PMC Restrita e do indicador da Boa Vista, Movimento do Comércio.

pmc

 

pmc2

Posts relacionados

Boa Vista SCPC: Demanda por Crédito do Consumidor sobe 1,4% em janeiro

Contudo, na avaliação dos valores acumulados em 12 meses houve queda de 9,2% A Demanda por Crédito do Consumidor, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), aumentou 1,4% em janeiro, na avaliação dessazonalizada contra dezembro. Porém, na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (fevereiro de 2016…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito sobe 3,0% em janeiro

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base do crédito– apontou elevação de 3,0% na análise mensal contra dezembro, descontados os efeitos sazonais. Já na variação acumulada em 12 meses apresentou alta de 2,7%, enquanto na análise interanual (mesmo mês de 2016) houve…

81% dos consumidores esperam que em 2017 a relação entre recebimento e gastos melhore, segundo Boa Vista SCPC

A maioria dos entrevistados (81%) na Pesquisa Perfil do Inadimplente, da Boa Vista SCPC, espera que em 2017 a relação entre recebimentos e gastos esteja melhor do que a existente no 4º trimestre de 2016, período no qual o levantamento foi elaborado contendo a participação de consumidores de todo o país. Em dezembro de 2015,…