Vendas no Varejo encerram abril com queda de 0,4%

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo IBGE, o volume de vendas no varejo restrito caiu 0,4% no resultado mensal de abril contra março, considerando a série dessazonalizada, sendo a terceira queda consecutiva no ano para o comércio. No acumulado do ano o recuo foi de 1,5% contra o mesmo período do ano passado, considerando a série sem ajuste sazonal. Na análise do acumulado em 12 meses, as vendas desaceleraram 0,8p.p. ao atingir 0,2%.

Para as categorias, na análise dos dados dessazonalizados o destaque ficou com “Materiais para escritório”, que registrou queda de 12,2% e para “Hipermercados e supermercados” que foi o único grupo a obter resultado positivo, de 1,9%. As demais categorias ficaram configuradas da seguinte maneira: “Outros” (-5,1%), “Tecidos, vestuário e calçados” (-3,8%), “Móveis e Eletrodomésticos” (-3,1%), “Livros, jornais revistas e papelaria” (-0,2%), “Combustíveis e lubrificantes” (-0,1%) e “Artigos farmacêuticos” (0,3%). O resultado ampliado do varejo, isto é, incluindo as vendas de materiais de construção e de veículos automotores, também registrou queda, de 0,3%.

A fraca atividade do varejo reflete em grande parte os efeitos da pressão inflacionária e baixa confiança na economia. A deterioração da atividade econômica tornou-se visível pela mudança do comportamento de consumo e para 2015, o cenário continua sendo pessimista: enquanto perdurarem as medidas corretivas (fiscal e de crédito), o setor continuará a lidar com alto nível de preços e piora do mercado de trabalho – que já tem apresentado elevação do desemprego e menor intensidade no crescimento dos rendimentos reais. Sendo assim, por ora mantemos nossa projeção de leve crescimento do setor, com apenas 0,5% nas vendas varejistas restritas. Já no ampliado, projetamos queda de 4,0% no varejo.

pmc 2pmc

Posts relacionados

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito sobe 3,0% em janeiro

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base do crédito– apontou elevação de 3,0% na análise mensal contra dezembro, descontados os efeitos sazonais. Já na variação acumulada em 12 meses apresentou alta de 2,7%, enquanto na análise interanual (mesmo mês de 2016) houve…

81% dos consumidores esperam que em 2017 a relação entre recebimento e gastos melhore, segundo Boa Vista SCPC

A maioria dos entrevistados (81%) na Pesquisa Perfil do Inadimplente, da Boa Vista SCPC, espera que em 2017 a relação entre recebimentos e gastos esteja melhor do que a existente no 4º trimestre de 2016, período no qual o levantamento foi elaborado contendo a participação de consumidores de todo o país. Em dezembro de 2015,…

CDC completa 27 anos e representa uma conquista de consumidores e de empresas

Março é um mês especial para os consumidores (e para as empresas). É que no dia 11, há 27 anos, entrou em vigor o Código de Defesa do Consumidor (CDC). A Lei 8.078 foi assinada pelo então presidente Fernando Collor em setembro de 1990, determinando que entrasse em vigor seis meses depois, no dia 11…