Vendas no Varejo encerram abril com queda de 0,4%

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo IBGE, o volume de vendas no varejo restrito caiu 0,4% no resultado mensal de abril contra março, considerando a série dessazonalizada, sendo a terceira queda consecutiva no ano para o comércio. No acumulado do ano o recuo foi de 1,5% contra o mesmo período do ano passado, considerando a série sem ajuste sazonal. Na análise do acumulado em 12 meses, as vendas desaceleraram 0,8p.p. ao atingir 0,2%.

Para as categorias, na análise dos dados dessazonalizados o destaque ficou com “Materiais para escritório”, que registrou queda de 12,2% e para “Hipermercados e supermercados” que foi o único grupo a obter resultado positivo, de 1,9%. As demais categorias ficaram configuradas da seguinte maneira: “Outros” (-5,1%), “Tecidos, vestuário e calçados” (-3,8%), “Móveis e Eletrodomésticos” (-3,1%), “Livros, jornais revistas e papelaria” (-0,2%), “Combustíveis e lubrificantes” (-0,1%) e “Artigos farmacêuticos” (0,3%). O resultado ampliado do varejo, isto é, incluindo as vendas de materiais de construção e de veículos automotores, também registrou queda, de 0,3%.

A fraca atividade do varejo reflete em grande parte os efeitos da pressão inflacionária e baixa confiança na economia. A deterioração da atividade econômica tornou-se visível pela mudança do comportamento de consumo e para 2015, o cenário continua sendo pessimista: enquanto perdurarem as medidas corretivas (fiscal e de crédito), o setor continuará a lidar com alto nível de preços e piora do mercado de trabalho – que já tem apresentado elevação do desemprego e menor intensidade no crescimento dos rendimentos reais. Sendo assim, por ora mantemos nossa projeção de leve crescimento do setor, com apenas 0,5% nas vendas varejistas restritas. Já no ampliado, projetamos queda de 4,0% no varejo.

pmc 2pmc

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…