Investimentos no PAC serão menores em 2014

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

Depois de muito esforço por parte do Governo, foi aprovado na madrugada desta quarta-feira o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2014. O orçamento do ano que vem será de R$ 2,49 trilhões, 9,21% a mais do que o deste ano (R$ 2,28 trilhões), e R$ 130 bilhões a mais em comparação ao projeto enviado pelo Executivo ao Legislativo (R$ 2,36 trilhões). Deste total, aproximadamente 26% serão utilizados apenas para o refinanciamento da dívida pública.

Tal aprovação só foi possível porque o governo resolveu ceder aos parlamentares, prometendo um “bônus” de R$ 2 milhões em emendas já em 2013. Para 2014, as emendas representarão R$ 8,7 bilhões, o equivalente a R$ 14,7 milhões para cada senador e deputado. Além disso, o salário mínimo previsto para o próximo ano aumentou de R$ 628 para R$ 724, alta de 6,8%. Já os investimentos previstos no PAC tiveram redução de R$ 1,2 bilhão em relação ao projeto enviado pelo Executivo, devendo somar em 2014 R$ 61,8 bilhões. De todas as despesas do Governo, a única, infelizmente, que tem demonstrado controle na sua evolução é a de Investimentos.

Ed.336

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…