Alimentos impedem alta maior da inflação

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

O IPCA-15, prévia da inflação oficial, registrou alta de 0,47% em junho de 2014, levando o acumulado em 12 meses para a marca de 6,41%. Impediram uma inflação ainda maior no mês a queda das taxas de água e esgoto em São Paulo e a deflação dos preços dos alimentos em domicílio, com redução de 0,23% no mês, reflexo das recentes baixas dos preços no atacado.

Embora a inflação tenha diminuído em comparação aos últimos meses, a situação atual ainda demanda cuidados. A alta de 0,47% de junho de 2014 é muito superior à média para o mês, de 0,32%. Em 2014, a inflação acumulada em apenas 6 meses já é de 4,0%, muito próximo da meta para todo o ano, de 4,5%, estipulada pelo BC. No próximo mês, o IPCA-15 deverá romper o teto máximo de 6,5% no acumulado em 12 meses. A persistência da inflação deteriora as expectativas futuras dos agentes, prejudicando o planejamento de investimentos de maior prazo de retorno. O BC, no entanto, reafirma a meta de 4,5% para a inflação nos próximos anos, mas cada vez menos pessoas acreditam na viabilidade de tal objetivo no curto prazo.

Comentários

comentários