Alta liquidez mundial inflaciona mercado de artes

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O Tríptico Three Studies of Lucian Freud de Francis Bacon foi arrematado ontem por US$ 142,4 milhões, estabelecendo o recorde de obra de arte mais cara já vendida em um leilão. Também ontem foi arrematada a escultura Balloon Dog da artista plástica Jeff Koons por US$ 58,4 milhões, um recorde para um artista vivo.

O mercado das artes vem, desde o ano passado, passando por uma forte valorização. Em maio do ano passado O Grito de Munch foi vendido por US$ 80 milhões. O afrouxamento monetário realizado pelos principais bancos centrais têm inflacionado os preços das principais commodities e diversos ativos. Os mercados continuam muito líquidos com poucas alternativas onde aplicar. Parece que, no momento, o mercado das artes é a bola da vez. No entanto, o preço desses ativos pode passar por um ajuste, como já vem ocorrendo com os preços do petróleo, ouro, soja e outras commodities. A frágil retomada da economia mundial está baseada em injeções maciças de dinheiro pelos Bancos Centrais. Qualquer ameaça de que esses recursos possam ser diminuídos assustam os mercados.

Ed.313

Comentários

comentários