Alta liquidez mundial inflaciona mercado de artes

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O Tríptico Three Studies of Lucian Freud de Francis Bacon foi arrematado ontem por US$ 142,4 milhões, estabelecendo o recorde de obra de arte mais cara já vendida em um leilão. Também ontem foi arrematada a escultura Balloon Dog da artista plástica Jeff Koons por US$ 58,4 milhões, um recorde para um artista vivo.

O mercado das artes vem, desde o ano passado, passando por uma forte valorização. Em maio do ano passado O Grito de Munch foi vendido por US$ 80 milhões. O afrouxamento monetário realizado pelos principais bancos centrais têm inflacionado os preços das principais commodities e diversos ativos. Os mercados continuam muito líquidos com poucas alternativas onde aplicar. Parece que, no momento, o mercado das artes é a bola da vez. No entanto, o preço desses ativos pode passar por um ajuste, como já vem ocorrendo com os preços do petróleo, ouro, soja e outras commodities. A frágil retomada da economia mundial está baseada em injeções maciças de dinheiro pelos Bancos Centrais. Qualquer ameaça de que esses recursos possam ser diminuídos assustam os mercados.

Ed.313

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio cai 1,0% em abril, diz Boa Vista SCPC

Dados do varejo apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), apontam que o Movimento do Comércio caiu 1,0% em abril, considerando as informações mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (maio de 2016 até abril de 2017) houve queda de 3,4% frente aos 12 meses antecedentes. Já na…

Vendas para o dia das mães crescem 1,6% em 2017, apura Boa Vista SCPC

As vendas do comércio para o Dia das Mães cresceram 1,6% em 2017, em comparação a 2016, de acordo com os dados de abrangência nacional, da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Segunda data comemorativa mais importante do comércio, o Dia das Mães trouxe boas notícias aos varejistas, uma vez que apresentou…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito cai 0,1% em abril

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base do SCPC – apontou queda de 0,1% na análise mensal dessazonalizada, enquanto na variação acumulada em 12 meses (maio de 2016 até abril de 2017) queda de 0,4%. Na análise interanual (mesmo mês de 2016)…