Ameaça energética e os impactos na inflação

Por Thiago Custódio Biscuola / Everton Carneiro, da RC Consultores

A inflação medida pelo IPCA registrou em fevereiro alta de 0,69%, segundo dados divulgados pelo IBGE nesta manhã. Em igual mês de 2013 o índice havia registrado elevação de 0,60%. Na variação acumulada nos 12 meses encerrados em fevereiro, o índice apresenta alta de 5,68%, acima dos 5,59% verificado em janeiro. O grupo que teve maior peso foi Educação, devido ao início do ano letivo, com alta no mês de 5,97%, contribuindo com uma variação de 0,27 p.p. (pontos percentuais). Os preços livres estão dentro do limite da meta de inflação pela primeira desde novembro de 2012, com a variação em 12 meses atingindo 6,3%. Os preços monitorados, por seu turno, após fecharem o ano passado na mínima histórica (0,94%), subiram fortemente no começo deste ano, alcançando 3,7% na variação em 12 meses encerrados em fevereiro.

A inflação nos próximos meses deve sofrer pressões diversas. Os alimentos que declinam fortemente desde abril do ano passado devem sofrer alguma pressão altista nos próximos meses. O Índice RC Consultores de preços agrícolas registra em março alta de 5,6% frente a fevereiro, já refletindo os efeitos da seca na expectativa de safra de alguns produtos. A irregularidade das chuvas tem afetado principalmente o preço de hortaliças. A inflação dos serviços tem-se mantido acima dos 8% nos últimos três anos. Já o grupo Habitação poderá ter uma surpresa desagradável. O grupo que no acumulado em 12 meses subiu de 4,2% no mês passado para 7,6% em fevereiro poderá sofrer com um reajuste na tarifa de energia. Distribuidoras que têm sofrido com a falta de chuvas e acionamento de térmicas ameaçam pedir uma revisão tarifária extraordinária a fim de manter o equilíbrio econômico-financeiro previsto em contrato. Desta forma, parte dos custos seria repassado aos consumidores. O Boletim Focus divulgado na última segunda-feira já prevê uma inflação maior para 2014, na média 6,12%. A inflação esperada poderá sofrer novas majorações caso estas ameaças se confirmem.

Ed.379

Comentários

comentários

Posts relacionados

Demanda por Crédito do Consumidor cai 4,0% no 1º trimestre, segundo Boa Vista SCPC

Dados nacionais da Boa Vista SCPC apontam que a Demanda por Crédito do Consumidor caiu 4,0% no 1º trimestre de 2017 na comparação com o mesmo período do ano anterior. Já na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (abril de 2016 até março de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 9,3%,…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,29% em março, segundo Boa Vista SCPC

No mesmo mês do ano anterior, o percentual foi de 2,59% 20 de abril 2017 – O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,29% em março, registrando diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,59%. O que representa menos cheques…

Vendas para a Páscoa cresceram 2,2% em 2017, segundo Boa Vista SCPC

Dados da Boa Vista SCPC mostraram que em 2017 as vendas do comércio para a Páscoa cresceram 2,2% quando comparadas ao mesmo período do ano anterior. Em 2016 as vendas apresentaram queda de 5,8% e em 2015 a retração foi menos intensa (-0,3%). O resultado deste ano é o segundo negativo da série histórica, que…