Arrecadação avança mesmo com desonerações

Por Augusto Cattoni / Marcel Augusto Caparoz, da RC Consultores

Ontem (25/06) a Receita Federal anunciou uma arrecadação recorde de impostos e contribuições para o mês de maio, com um montante de R$87,8 bilhões, alta real de 5,8% sobre o mesmo mês do ano passado. No ano a arrecadação já acumula R$458,3 bilhões, com expansão real de 0,77% sobre o mesmo período de 2012. O Governo federal espera um aumento de 3,5% da arrecadação em 2013, mesmo com as desonerações em curso, que já retiraram dos cofres públicos R$9,1 bilhões entre janeiro e maio deste ano.

Este resultado apenas demonstra a tendência de crescimento estrutural da carga tributária no Brasil. Mesmo em um cenário de baixo crescimento econômico e de elevação das desonerações, a arrecadação de impostos consegue registrar aumento real acima do crescimento do PIB. Tal incremento permitiu superávit primário nas contas do governo de R$6 bilhões em maio. Esta situação confirma que existe espaço para redução dos impostos no Brasil. A simplificação do sistema tributário, concomitantemente a uma maior eficiência e transparência nos gastos públicos permitiriam uma gradual redução da carga tributária no Brasil.

Ed.214

Comentários

comentários