Aumento da alíquota de importação não vai resolver o problema da indústria brasileira

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O governo anunciou ontem a elevação das alíquotas de importação de 100 itens que abastecem a cadeia produtiva em áreas como petroquímica, siderurgia, alimentos e medicamentos. Itens como pneus, papéis, vidros e móveis que tinham alíquotas que variavam de 12% a 18%, passaram para 25%. Até outubro, a lista deverá ser ampliada para 200 produtos.

Essa medida não só deverá impactar os índices de preços, pois em alguns setores, com poucos competidores, o reajuste poderá ser inevitável, como não vai reverter a desindustrialização brasileira. O problema é a tributação excessiva na mão de obra, na energia, no bem de capital, nos insumos que fazem explodir o custo industrial, produzindo-se menos e mais caro no Brasil.

Ed.23

Comentários

comentários

Posts relacionados

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito cai 1,1% no semestre

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 1,1% no 1º semestre do ano quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Na variação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017)…

Inadimplência do consumidor cai 0,8% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

A inadimplência do consumidor caiu 0,8% no 1º semestre de 2017, na comparação com o 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 3,1%. Na avaliação mensal dessazonalizada, a…