Banco Central espera inflação elevada nos próximos anos

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

O Banco Central divulgou hoje o relatório trimestral de inflação, confirmando a expectativa de persistência da inflação na economia. Para este ano, a expectativa do banco para o IPCA subiu para 6,1%, ante 5,6% no relatório anterior. Para 2015 e 2016, projetam-se altas de 5,5% e 5,4%, respectivamente, acima do centro da meta de 4,5%. Segundo o relatório, esta persistência da inflação corrente reflete, em parte, a dinâmica dos preços no segmento de serviços, que permanecem pressionados no patamar médio de 8,5% ao ano.

Este cenário de persistência das expectativas de inflação acima do centro da meta para os próximos anos é preocupante. E o comitê do Copom demonstra estar ciente do problema, afirmando que “tendo em vista os danos que a persistência desse processo causaria à tomada de decisões sobre consumo e investimentos, na visão do Comitê, faz-se necessário que, com a devida tempestividade, o mesmo seja revertido”. No mercado de fatores, o Copom pondera que um risco importante para a inflação advém do mercado de trabalho, que mostra margem estreita de ociosidade, resultando em elevação dos salários reais acima da produtividade. Segundo dados divulgados hoje pelo IBGE, a taxa de desemprego alcançou o menor patamar para os meses de fevereiro (5,1%). As expectativas futuras para a inflação estão sendo influenciadas pelas incertezas que cercam os preços administrados, como o da gasolina e os de alguns serviços públicos, como eletricidade e transporte público, que deverão sofrer reajustes ao longo de 2014 e 2015. A questão agora é saber como o governo irá manejar essas altas dos preços administrado em pleno período eleitoral e de alto questionamento público.

Ed.388

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…