BC mantém juro e sinaliza alta

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O Banco Central manteve os juros em 7,25% ao ano pela terceira vez consecutiva, mas indicou que poderá elevar a taxa a partir da próxima reunião. Em comunicado, o BC destacou que “irá acompanhar a evolução do cenário macroeconômico até a próxima reunião, para então definir os próximos passos na estratégia de política monetária”.  Até então, o BC vinha reiterando nos comunicados que a “manutenção dos juros por um período de tempo suficientemente prolongado” era a estratégia mais adequada para garantir a convergência da inflação para a meta. A manutenção dos juros nessa reunião já era esperada. A substituição da expressão “suficientemente prolongado” por “acompanhar a evolução macroeconômica para então definir a estratégia monetária” foi entendida pelo mercado como indicação de que está aberta a possibilidade de aumento da taxa. Os contratos futuros de juros já indicam isso.  O vencimento em janeiro de 2014 abriu hoje a 7,77% contra 7,66% no fechamento de ontem.

O BC tem fundamentado as decisões em três fatores: o crescimento, o inflacionário e o político. O crescimento da economia este ano ainda não está consolidado, alguns sinais de retomada podem ser prejudicados com a elevação de juros. Existe uma pressão inflacionária, sobretudo em serviços, mas a safra agrícola pode suavizar essa pressão. A redução da taxa de juros é um pilar político do atual governo, que tudo fará para que os juros não aumentem. Embora a postura em relação à política monetária tenha sido modificada, a alta nos juros, se houver, pode ainda demorar

Ed.138

Comentários

comentários

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

Número de novas empresas cai 3,8% no 2º trimestre

No 2º trimestre de 2017 o número de novas empresas caiu 3,8% em relação ao trimestre anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Assim, o resultado configura a primeira queda para esse trimestre desde o início da série histórica (2003). Ainda assim, os valores acumulados no…

Vendas para o dia dos pais recuam 0,5% em 2017

As vendas do comércio para o dia dos pais diminuíram 0,5% em 2017 quando comparadas a 2016, segundo dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O recuo das vendas nesta data foi mais fraco do que o observado em 2016, quando o comércio retraiu 5,2% em relação ao mesmo período de…