BCE reduz ainda mais a taxa de juros

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Contrariando as expectativas do mercado, o Banco Central Europeu (BCE) reduziu hoje ainda mais a taxa de juro de referencia na zona do euro em 10 pontos base para um novo mínimo histórico de 0,05% ao ano. Ao mesmo tempo, a taxa dos depósitos bancários entrou ainda mais no terreno negativo, passando de -0,10% para -0,20% ao ano. Ou seja, os bancos terão que pagar para deixar os recursos no BCE. Além disso, anunciou que na próxima reunião, em outubro, aumentará os recursos direcionados para o refinanciamento de longo prazo para o setor privado não financeiro. Somados aos 400 milhões de euros da última reunião, devem se aproximar a um trilhão de euros. Não houve unanimidade entre os presidentes dos bancos centrais da zona do euro. A Alemanha tem sido mais resistente à tomada de medidas ultraexpansionistas, defendendo que a política monetária já esgotou os seus instrumentos.

As medidas anunciadas por Mario Draghi, presidente do BCE, surgem quando a inflação na zona do euro caiu para 0,3% em agosto, longe da meta de 2%, com projeções de continuidade de queda na evolução dos preços, ameaçando uma deflação. A decisão do BCE é um sinal evidente de maior agressividade perante a diminuição da atividade econômica na zona do euro. Draghi ainda continuou defendendo uma contribuição de políticas orçamentais que permitam maior crescimento e de reformas estruturais. A reação imediata foi o recuo do euro para US$ 1,30. Ao contrário do que o mercado projetava no inicio do ano, a recuperação da zona do euro não se concretizou. O Brasil continuará dependendo da manutenção do ritmo de crescimento chinês e da retomada da economia americana.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…