Bolsas abrem a semana em queda

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

As principais bolsas europeias abriram em queda nesta segunda-feira.  Os investidores reagem a problemas na Espanha e na Itália. Na Espanha, a oposição exige a demissão de Mariano Rajoy após denúncias de corrupção. O apoio dos espanhóis a Rajoy está nos mais baixos patamares desde sua posse. Além disso, dados de desemprego divulgados hoje mostram novo aumento em janeiro. Na Itália, pesquisas de opinião indicam que o ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi encurtou a diferença para apenas cinco pontos percentuais sobre a coligação de esquerda, até então favorita.

Embora os riscos de curto prazo na Europa tenham diminuído, a reação do mercado a notícias como as de hoje, mostra que ainda teremos muita volatilidade pela frente. Diferenças de competitividade entre o norte e sul do continente ainda não foram conduzidas de forma consistente. O forte ajuste econômico traz consequências sociais graves, que podem reacender as dúvidas quanto ao futuro europeu.

Ed.118

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…