Calcanhar de Aquiles

Por Bruna Martins/Flávio Calife

O comércio não anda bem há algum tempo e, a cada nova notícia, o sentimento que prevalece é de nostalgia dos anos áureos. Segundo o IBGE, em abril as vendas no varejo recuaram 6,1% no acumulado em 12 meses, e a queda é ainda mais intensa quando considerados apenas os meses de 2016, de 6,9%. Para piorar o cenário, o indicador de Movimento do Comércio da Boa Vista SCPC, antecedente do número do IBGE, não trouxe sinal de reversão da tendência em maio, ao divulgar queda de 5,1% em 12 meses.

Apesar do varejo estar na berlinda, os resultados de confiança do Ibre-FGV podem ser um bom sinal a se considerar. Com alguns meses de estabilidade, e em certos casos até mesmo com relativa melhora, a confiança aponta que os consumidores e empresários estão aguardando alguma concretização de expectativa – boa, é claro – para a retomada do consumo e do investimento.

Por que então os consumidores estão esperando para consumir? Os mesmos motivos que os levaram a readequação de seus orçamentos: preços, juros e mercado de trabalho. A queda da inflação já é esperada, a redução da Selic oxalá contribuirá para amenizar os juros finais ao consumidor, deixando a grande aposta para o mercado de trabalho. Os números divulgados hoje pelo IBGE apontam estabilidade na taxa de desemprego, algo considerado positivo após 15 meses consecutivos de alta.

Esse é o Calcanhar de Aquiles do comércio. Se o mercado de trabalho responder às boas expectativas para o próximo ano, o setor terá razões para comemorar em 2017.


Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…