Câmbio competitivo para a indústria é inviável

Por Marcel Caparoz e Everton Carneiro, da RC Consultores

Estudo realizado pela RC Consultores indica que a taxa de câmbio competitiva para a indústria estaria em torno de R$/US$ 2,60. A análise levou em consideração o aumento nominal dos salários na indústria paulista, medido pela FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), que aumenta os custos do setor, e a taxa de câmbio necessária para contrabalancear essa perda de competitividade. No entanto, na atual conjuntura, parece inviável que essa taxa seja atingida neste ano. Ontem o dólar PTAX foi negociado a R$ 2,28.

A elevada taxa de juros no Brasil atrai grandes somas de capital externo, principalmente sob a forma de Investimentos em Carteira, com a compra de títulos públicos. Além disso, os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) continuam com forte saldo positivo. Esta entrada maciça de dólares contribui para manter o Real apreciado. Outro ponto é a inflação. A moeda mais depreciada encareceria as importações, que inclui consumo e insumos utilizados por alguns setores da economia, contribuindo para elevar ainda mais a inflação, que atualmente já está em 6,52% no acumulado em 12 meses, acima do teto da meta. Apesar da volatilidade e desvalorização do Real nos últimos dias, a RC Consultores projeta taxa de câmbio de R$ 2,35 no final deste ano.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…