China vive momento de inflexão

Por José Valter Martins, da RC Consultores

Aumentou o ruído no mercado sobre o estouro imobiliário e do setor financeiro shadow na China. No entanto, o jornal Financial News afirma que é pouco provável que haja uma onda de calotes de empresas na China. O editorial afirma que a prioridade dos dirigentes chineses é estabilizar o crescimento, afrouxar as condições monetárias e fortalecer a regulação, o que impedirá uma inadimplência generalizada.

A China vive um momento de inflexão. As diversas vulnerabilidades do modelo econômico chinês que aumentaram na última década reforçam que a mudança é prioridade. Especialistas afirmam que as reformas que têm que avançar são basicamente centradas na transformação do modelo econômico de capital intensivo e sobre-endividamento, que se esgotou econômica e politicamente. O modelo iniciado nos anos 90 gerou na última década investimento desperdiçado em capacidade excessiva em diversos setores, fraude e elefantes brancos, gerando inclusive investimentos com retorno negativo. Deflacionar a bolha imobiliária é um quebra-cabeça. Apenas 60 empresas do setor detêm 80% das responsabilidades financeiras, com alavancagem superior a 300%. O setor bancário shadow representa 44% do PIB. O resultado de curto e médio prazo será o abrandamento da taxa de crescimento anual, que atualmente ronda os 7%. No entanto, é importante lembrar que a posição externa da China continua forte. Em julho o superávit comercial de US$ 47,3 bilhões foi recorde, um resultado 14% superior ao mês anterior. Dificilmente a China voltará a crescer a dois dígitos. Mas também é pouco provável que venha a crescer abaixo de 5% na próxima década.

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…