Com atraso, FMI revê suas projeções

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O FMI rebaixou mais uma vez a projeção de crescimento para a economia brasileira. Para o ano de 2013, o FMI prevê um crescimento de 2,5% do PIB ante os 3,0% projetado em abril. Para 2014 a projeção passou a ser de 3,2%. No geral, o FMI prevê um crescimento menor para as economias emergentes. O México teve revisão para baixo nas projeções de 2013, de 3,4% para 2,9%. A China deve crescer 7,8% em 2013 e 7,7% em 2014, respectivamente. Por sinal, hoje a China divulgou os números do comércio internacional. As exportações recuaram 3,1% na comparação interanual (a maior queda observada desde o início da crise global) e as importações reduziram-se em 0,7%, quando o mercado esperava um crescimento de 6%. Esse resultado deixa poucas dúvidas sobre a atual fase de desaceleração que se encontra a segunda maior economia do mundo.

O FMI mantém sua cota de atraso. Enquanto a RC Consultores desde o ano passado projetava um crescimento do PIB brasileiro em 3,0%, em outubro o FMI divulgava em seus relatórios que o “Brasil voltará aos índices de crescimento acima da média mundial em 2013, quando atingirá 4%”. Com o consumo das famílias demonstrando saturação por conta de um maior comprometimento da renda familiar, os esperados investimentos abaixo da expectativa e um cenário externo que não tem nos favorecido, a RC Consultores reduziu sua projeção de crescimento do PIB de 2,7% para 2,1% para este ano.

Ed.223

Comentários

comentários

Posts relacionados

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito cai 1,1% no semestre

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 1,1% no 1º semestre do ano quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Na variação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017)…

Inadimplência do consumidor cai 0,8% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

A inadimplência do consumidor caiu 0,8% no 1º semestre de 2017, na comparação com o 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 3,1%. Na avaliação mensal dessazonalizada, a…