Competitividade das exportações só virá com planejamento

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou ontem a ampliação, para toda a indústria de transformação, do benefício que permite uma redução da alíquota de imposto sobre o lucro obtido no exterior, que cairá dos atuais 34% para 25%.  Segundo o próprio ministro, está medida busca “dar equilíbrio entre as empresas brasileiras e estrangeiras no exterior”.

Num país onde a carga tributária já ultrapassa o nível de 34% do PIB, qualquer redução de impostos deve ser comemorada. No entanto, esta medida não deve de fato resolver a falta de competitividade das exportações brasileiras. Apenas algumas empresas multinacionais brasileiras com escritórios no exterior serão beneficiadas, deixando de lado um universo muito maior da pauta das exportações brasileiras. O aumento da competitividade não será alcançado com medidas pontuais, mas sim com o planejamento de uma política de comércio exterior bem definida e principalmente alinhada com a política de crescimento econômico do País, coisa que hoje não existe.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Demanda por Crédito do Consumidor cai 0,7% no 1º semestre, segundo Boa Vista SCPC

A Demanda por Crédito do Consumidor caiu 0,7% no 1º semestre de 2017, em comparação ao 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação interanual, junho apresentou estabilidade nos dados, enquanto nos valores acumulados em 12 meses (julho de 2016 até junho…

Movimento do Comércio cai 3,2% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, caiu 3,2% no acumulado no ano (1º semestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12…

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…