Confiança dá trégua, mas comércio ainda não reage

Por Bruna Martins

Nos últimos meses, os indicadores de confiança vêm oferecendo uma certa trégua. Apesar de altos e baixos, o Indicador de Confiança do Consumidor da FGV manteve-se relativamente estável a partir de outubro de 2015, enquanto o comércio seguiu ladeira abaixo.

O descontentamento com a atual situação econômica e com as incertezas que pairam no campo político refletem diretamente nos indicadores de confiança e, consequentemente, modificam o comportamento dos consumidores. Com o orçamento mais apertado, devido ao aumento do desemprego, dos juros e da inflação, e sem perspectiva de melhora no curto prazo, os consumidores tiveram que readequar suas despesas à atual realidade. O comércio que o diga.

O Indicador de Movimento do Comércio, divulgado ontem pela Boa Vista SCPC, apontou recuo de 7,1% no 1º trimestre de 2016 em comparação com o mesmo período do ano passado. No acumulado em 12 meses, a tendência de queda foi intensificada em 0,3 p.p., atingindo -4,5%.

Responsável por puxar o crescimento econômico até 2014, o comércio demorou mais que os outros setores para perceber a situação que a economia se encontrava e, por isso, a adaptação do setor tem sido demorada. Apesar da trégua, a confiança continua bem distante da média histórica, e uma retomada de esperança a ponto de impactar as vendas do varejo só é plausível em um cenário com menos incertezas políticas e econômicas. Dado o cenário de transição, está na hora do comércio começar a reagir.

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…