Confisco de depósitos em Chipre assusta Eurozona

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Neste fim de semana, o governo de Chipre concordou em decretar um confisco de 9,9% sobre todos os depósitos bancários nas instituições cipriotas em valor superior a 100.000 euros. Os demais também pagarão, embora com uma alíquota menor, de 6,75%. O caráter de confisco foi “aliviado” pela entrega aos “contribuintes” de ações dos bancos cipriotas onde seus recursos estão depositados. Com isso, as autoridades locais, do FMI e do BCE que participaram da decisão encontram razão para supor que não haverá saques vultosos pelos prejudicados. Chipre é uma pequena nação participante da Comunidade Europeia, altamente endividada, que não tinha mais como rolar a dívida pública. A Troika aprovou então um socorro de €10 bilhões aos bancos e ao país, que se soma ao confisco no valor estimado de €7 bilhões.

A notícia é familiar aos brasileiros com mais de 30 anos. Lembra o confisco da poupança, com bloqueio de saques no anúncio do Plano Collor. Na ocasião, advertimos logo sobre o alto risco de insucesso da medida. De fato, era uma política natimorta. Mas o confisco em Chipre assume contornos mais graves, embora em uma economia muito pequena. Pode minar a confiança, já meio abalada, dos depositantes em euros em outros países do bloco. O que poderá supor um depositante espanhol, italiano ou português? As próximas semanas o dirão. Em contraste, as bolsas americanas seguem embaladas por uma perspectiva de que 2013 é o primeiro ano da recuperação efetiva daquele país e que isso puxará o resto do mundo. São duas visões bem opostas caminhando em paralelo.

Ed.145

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…