Congresso aprova manobras e abala LRF

Por José Valter Martins de Almeida e Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Ontem o governo federal publicou a Medida Provisória 661, que permite ao governo utilizar receitas reservadas do caixa da União, provenientes dos recursos do “superávit financeiro”, para pagamento de outras despesas distintas de sua destinação legal. Os recursos poderão ser agora utilizados para gastos com pessoal, seguro-desemprego e benefícios da Previdência. A mesma Medida Provisória libera também aporte de R$30 bilhões em créditos da União ao BNDES. Em bom português, tanto o Tesouro como o BNDES estão “raspando o fundo do tacho” para enfrentar seus compromissos inadiáveis de final de ano.

Na madrugada de hoje o Congresso também aprovou o texto que altera a meta fiscal deste ano, pela impossibilidade de o governo federal cumprir o superávit previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Na prática, o Congresso “flexibiliza” a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), abalando seus alicerces. As duas medidas podem ser classificadas como mais duas manobras da “contabilidade criativa”. A nova equipe econômica vai ter que suar a camisa para mostrar que no segundo mandato não se repetirá o que aconteceu no primeiro: a falta de comprometimento do governo central com as metas fiscais pactuadas na Lei Orçamentária. A sequela deste desajuste para os brasileiros é mais aumento de impostos, com retração da atividade econômica, aumento do desemprego e perda de renda real.

Comentários

comentários

Posts relacionados

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito cai 1,1% no semestre

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 1,1% no 1º semestre do ano quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Na variação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017)…

Inadimplência do consumidor cai 0,8% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

A inadimplência do consumidor caiu 0,8% no 1º semestre de 2017, na comparação com o 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 3,1%. Na avaliação mensal dessazonalizada, a…