Contração industrial sugere desaceleração na China

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O índice que mede a atividade industrial da zona do euro caiu em fevereiro para 53 pontos, face aos 54 registrados no mês anterior. Os números foram revelados no mesmo dia em que um outro relatório do instituto de pesquisas Markit Economics, que elabora o índice dos gerentes de compras (PMI), aponta uma queda da atividade industrial da China. O índice chinês caiu para 48,3 pontos em fevereiro, o menor nível em sete meses. Números abaixo de 50 pontos apontam contração da atividade, acima de 50 significam expansão.

A contração das atividades das indústrias chinesas foi provocada pela diminuição da quantidade de novas encomendas. Estes sinais de arrefecimento chinês geram pressão vendedora sobre as cotações de matérias-primas e sobre o Yuan. O crédito para empresas e entes governamentais aumentou exponencialmente desde 2007 para não permitir o desemprego no estouro da bolha americana. Agora veio a ressaca, com a dificuldade dos bancos em receber empréstimos de volta. Globalmente os investidores podem estar subestimando os riscos de “downside” da economia chinesa. A economia não só está desacelerando como existem sérios riscos financeiros. A possibilidade de uma crise existe.

Ed.370

Comentários

comentários