Copom mantém Selic em 7,25% ao ano

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Por decisão unânime o Banco Central manteve ontem a taxa básica de juros em 7,25% ao ano e indicou que não deve alterar essa taxa por “um período de tempo suficientemente prolongado” por entender que “é a estratégia mais adequada para garantir a convergência da inflação para a meta, ainda que de forma não linear”.

Tudo indica que, depois de dez cortes seguidos, que acumularam uma redução de 5,25 pontos na taxa básica de juros desde agosto de 2011, o Banco Central entenda como “tempo suficiente prolongado” pelo menos o ano de 2013.  Em havendo alguma pressão sobre a inflação, antes de elevar os juros, o mais provável é que o BC utilize medidas macroprudenciais, já testadas no passado, de forma a conter o crédito e reduzir a disponibilidade de liquidez.

Ed.79

Comentários

comentários

Posts relacionados

Número de novas empresas aumentou 6,6% no 1º trimestre de 2017, segundo Boa Vista SCPC

No 1º trimestre de 2017 o número de novas empresas cresceu 6,6% em relação ao mesmo período de 2016 (análise interanual), segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Em relação ao 4º trimestre de 2016 houve aumento de 29,2%. Forma jurídica Na análise por classificação de forma…

Inadimplência das empresas inicia 2017 com queda de 0,3%, diz a Boa Vista SCPC

A inadimplência das empresas em todo o país caiu 0,3% no 1º trimestre de 2017 quando comparada ao mesmo trimestre do ano anterior, de acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Depois de três anos consecutivos de alta do indicador na comparação interanual (1º tri de 2017 contra o…

Boa Vista SCPC: inadimplência do consumidor paulistano caiu 4,3% no 1º trimestre

A inadimplência do consumidor na cidade de São Paulo teve queda de 4,3% no acumulado do ano (1º trimestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados da Boa Vista SCPC. Na comparação interanual (março-17 contra março-16), a inadimplência retraiu 8,4%. Contra o mês anterior (março-17 contra fevereiro-17) houve…