Crédito mais caro para as famílias

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

A concessão de crédito no Brasil está ficando cada vez menor e mais cara, segundo informações divulgadas hoje pelo Banco Central do Brasil (BC). O ritmo de crescimento do saldo de crédito em novembro de 2014 foi de 4,7%. Em 2013 crescia na casa dos 8,0%. Além disso, o juro médio cobrado não para de subir. Em novembro de 2014 as pessoas físicas pagaram um juro médio de 44% nos recursos livres, com destaque para a indecente taxa do cheque especial, que já é 191,6%, a maior da série divulgada pelo BC.

As instituições financeiras do país estão mais seletivas na concessão de crédito novo, em função do menor ritmo de crescimento econômico e de uma provável deterioração do mercado de trabalho e da renda real das famílias. Esta estratégia tem impedido um aumento da inadimplência oficial no Brasil, que ainda permanece baixa e estável no patamar de 3,0%. No entanto a situação demanda atenção. Muitas empresas já estão renegociando suas dívidas, buscando ampliar o prazo dos vencimentos a fim de evitar um estresse financeiro. As famílias permanecem endividadas, porém com expectativa de crescimento do salário real menor e com um custo financeiro cada vez maior. O grande apelo para as compras que ocorre nessa época do ano não será suficiente para amenizar essa fragilidade estrutural. Tanto que a expectativa de crescimento das vendas de Natal já começa a ser revista pelo comércio. Nos shoppings, a expectativa é de crescimento real de 2,5% em 2014, contra uma alta de 5,0% de 2013, segundo a Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping).

Comentários

comentários

Posts relacionados

Número de novas empresas aumentou 6,6% no 1º trimestre de 2017, segundo Boa Vista SCPC

No 1º trimestre de 2017 o número de novas empresas cresceu 6,6% em relação ao mesmo período de 2016 (análise interanual), segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Em relação ao 4º trimestre de 2016 houve aumento de 29,2%. Forma jurídica Na análise por classificação de forma…

Inadimplência das empresas inicia 2017 com queda de 0,3%, diz a Boa Vista SCPC

A inadimplência das empresas em todo o país caiu 0,3% no 1º trimestre de 2017 quando comparada ao mesmo trimestre do ano anterior, de acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Depois de três anos consecutivos de alta do indicador na comparação interanual (1º tri de 2017 contra o…

Boa Vista SCPC: inadimplência do consumidor paulistano caiu 4,3% no 1º trimestre

A inadimplência do consumidor na cidade de São Paulo teve queda de 4,3% no acumulado do ano (1º trimestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados da Boa Vista SCPC. Na comparação interanual (março-17 contra março-16), a inadimplência retraiu 8,4%. Contra o mês anterior (março-17 contra fevereiro-17) houve…