Custo da energia aumenta e pressiona Tesouro

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores 

O preço da energia elétrica no mercado a vista alcançou na 5ª semana de janeiro a marca de R$ 484/MWh, alta de 18% em apenas uma semana, de acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Em relação a dezembro de 2013, a alta já é de 66%. Este é o segundo maior valor da série histórica, ficando abaixo apenas do mês de janeiro de 2008, quando o valor da energia atingiu R$ 502,45 MWh, fruto das poucas chuvas e do risco de apagão na época.

As chuvas mais fracas do que o esperado para o início do ano têm prejudicado o ritmo de elevação dos reservatórios, principalmente no sistema Sudeste/Centro-Oeste, região que concentra as hidrelétricas mais importantes para o abastecimento do país. Em 2013, os reservatórios da região registraram uma média de 51,7% da sua capacidade total, o menor valor desde 2001. A utilização das termoelétricas ocasiona gastos adicionais, que em 2014 deverá ser da ordem de R$ 9 bilhões, elevando o custo da geração de energia no país. Com o adiamento da adoção do sistema de bandeiras pela Aneel no final de 2013, parte deste ônus que deveria ser repassado aos consumidores será novamente bancado pelo Tesouro Nacional, pressionando ainda mais a evolução dos gastos públicos.

Ed.353

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…