Custo de energia elétrica deve pressionar inflação no próximo ano

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

A partir do próximo ano entra em vigor o sistema de bandeiras tarifárias de energia elétrica no Brasil. A regra determina que todas as distribuidoras de energia elétrica deverão incluir na conta de luz o desenho de uma bandeira verde, amarela ou vermelha. Cada cor indica quanto o preço de energia deve subir no mês seguinte. A medida irá repassar o gasto com usinas térmicas para a fatura dos consumidores mês a mês. As usinas térmicas são acionadas pelo governo sempre que há necessidade de compensar deficiências na geração hidrelétrica.

As incertezas de mercado enfrentadas pelas elétricas se somam ao risco hidrológico pela falta de chuvas. Em novembro, os reservatórios das hidrelétricas do Nordeste devem fechar com nível de armazenamento em torno de 23%, contra 48% em 2011, ano de normalidade pluviométrica. Os reservatórios do subsistema Sudeste-Centro-Oeste devem chegar a 42%, contra 58% em 2011. O corte de preço da energia estimulou o consumo de um produto escasso. A ONS prevê um aumento do consumo de energia de 6,6% em novembro em relação ao mesmo período do ano passado. Simulação feita pela Aneel revelou que todos os consumidores teriam de pagar aumentos mensais em suas contas de luz neste ano, caso o sistema já estivesse em vigor. Para o próximo ano, o quadro não deve se alterar, o que indica mais pressão sobre a inflação e sobre os custos, sobretudo os da indústria.

Ed.307

Comentários

comentários