Custo de energia elétrica deve pressionar inflação no próximo ano

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

A partir do próximo ano entra em vigor o sistema de bandeiras tarifárias de energia elétrica no Brasil. A regra determina que todas as distribuidoras de energia elétrica deverão incluir na conta de luz o desenho de uma bandeira verde, amarela ou vermelha. Cada cor indica quanto o preço de energia deve subir no mês seguinte. A medida irá repassar o gasto com usinas térmicas para a fatura dos consumidores mês a mês. As usinas térmicas são acionadas pelo governo sempre que há necessidade de compensar deficiências na geração hidrelétrica.

As incertezas de mercado enfrentadas pelas elétricas se somam ao risco hidrológico pela falta de chuvas. Em novembro, os reservatórios das hidrelétricas do Nordeste devem fechar com nível de armazenamento em torno de 23%, contra 48% em 2011, ano de normalidade pluviométrica. Os reservatórios do subsistema Sudeste-Centro-Oeste devem chegar a 42%, contra 58% em 2011. O corte de preço da energia estimulou o consumo de um produto escasso. A ONS prevê um aumento do consumo de energia de 6,6% em novembro em relação ao mesmo período do ano passado. Simulação feita pela Aneel revelou que todos os consumidores teriam de pagar aumentos mensais em suas contas de luz neste ano, caso o sistema já estivesse em vigor. Para o próximo ano, o quadro não deve se alterar, o que indica mais pressão sobre a inflação e sobre os custos, sobretudo os da indústria.

Ed.307

Comentários

comentários

Posts relacionados

Boa Vista SCPC reúne especialistas para debater avanços e benefícios econômicos do Cadastro Positivo

A Boa Vista SCPC recebeu autoridades como Oscar Madeddu, do Banco Mundial, João André Pereira, do Banco Central do Brasil e César Calomino, da Equifax do Uruguai, para falar sobre o Cadastro Positivo e os seus impactos econômicos e sociais, inclusive em países em desenvolvimento onde já é uma realidade. Estes convidados também salientaram a…

Recuperação de crédito cai 2,3% no acumulado 12 meses

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 2,3% na variação acumulada em 12 meses (setembro de 2016 até agosto de 2017). A variação mensal com dados dessazonalizados apresentou aumento de 4,5% contra o mês…

Relatório de Crédito – jul/17

O Banco Central do Brasil (BCB) divulgou os dados de crédito referente a julho. A expansão das operações de crédito, até o momento, continua em ritmo moderado. O crescimento do saldo veio levemente abaixo do esperado, com redução na variação anual (caiu 1,6% em junho/17 contra diminuição de 1,7% em jul/17), atingindo R$ 3,1 trilhões,…