Dados indicam deterioração da economia espanhola

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Os depósitos privados nos bancos espanhóis recuaram em julho € 74,2 bilhões, o maior volume de saques das instituições espanholas desde setembro de 1997, segundo informou o BCE. As más notícias vindas de Madri não param por aí. O governo autônomo da Catalunha, uma das regiões mais ricas da Espanha, solicitou € 5 bilhões ao fundo criado para ajudar as regiões com problemas financeiros. Também ontem foi anunciada queda do PIB espanhol de 0,4% no segundo trimestre. Na comparação anual a queda foi de 1,3%.

Com a economia espanhola mostrando poucos sinais de recuperação e com os custos dos empréstimos elevados, o pedido de resgate é um risco cada vez mais possível. Como já afirmamos, a lacuna no processo de resgate é a falta de uma reestruturação efetiva dos passivos existentes, sem o que se torna quase impagável o conjunto das dívidas atuais. O encaminhamento para a solução dessa crise parece ainda estar distante.

Ed.18

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,5% em julho

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,5% em julho quando comparado a junho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (agosto de 2016…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

PNAD: Rendimentos apresentam leve melhora no 2T17

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), os rendimentos reais dos trabalhadores apresentaram melhora em todas as regiões quando avaliadas os valores acumulados em 4 trimestres. A Região Nordeste registrou a primeira marcação positiva (1,6%), ao lado da região Sudeste (0,1%) e Centro Oeste (0,8%). Em relação ao mesmo período…