Desaceleração sincronizada da indústria mundial gera revisão de cronogramas no Brasil

Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Notícias de adiamentos de inversões no parque siderúrgico brasileiro e adiamento de novos projetos no setor minero-metalúrgico (especialmente minério de ferro e cobre) espelham as projeções de redução da demanda externa e dos preços nesta ampla cadeia produtiva que inclui empresas do porte da Vale e Gerdau. As empresas nacionais não apenas acompanham a redução do ritmo da indústria mundial, com ênfase em China e Índia, mas as recentes postergações também refletem, em alguns casos, a certeza de que a demanda interna, no próximo ano, continuará comprometida pela recessão de crescimento na economia brasileira. O próximo anúncio de novo “pacote de boas intenções” pelo governo Dilma dificilmente comoverá o investidor industrial ressabiado pelo tamanho da crise externa.

O carro-chefe dos adiamentos vem da própria Petrobras, que ainda lidera nosso esforço investidor, porém com seu caixa livre no nível mais baixo dos últimos anos. A Petrobras está em boa companhia. Boa parte do setor industrial brasileiro perde sua capacidade de investir ao entregá-la ao governo sob a forma de tributos cobrados na fase de produção e apenas parcialmente empurrados aos elos seguintes da cadeia produtiva e de consumo.  Indústria e assalariados da classe média são os que primeiro pagam a conta da escalada tributária. Os níveis de utilização de capacidade instalada na indústria continuam resvalando frente ao ano passado. Não é uma queda dramática, mas persistente em seus efeitos. Indica geração de caixa fraca na maioria dos segmentos e, por consequência, a postergação de investimentos.

Ed.06

Comentários

comentários

Posts relacionados

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito cai 1,1% no semestre

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 1,1% no 1º semestre do ano quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Na variação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017)…

Inadimplência do consumidor cai 0,8% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

A inadimplência do consumidor caiu 0,8% no 1º semestre de 2017, na comparação com o 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 3,1%. Na avaliação mensal dessazonalizada, a…