Desafio fiscal se mantém em 2014

Por José Valter Martins de Almeida / Thiago Custódio Biscuola, da RC Consultores

O superávit fiscal do Governo Central, economia para o pagamento dos juros da dívida, deve ficar em torno de R$ 75 bi em 2013, o equivalente a 1,5% do PIB. Estes são dados ainda preliminares antecipados pelo ministro da fazenda, Guido Mantega, na última sexta-feira. Com este resultado prévio, a meta ajustada de R$ 73 bi, estabelecida em julho, será alcançada. Tal resultado se deve, sobretudo, às receitas extraordinárias anunciadas no mês de novembro, que somam cerca de R$ 35 bi, divididas entre as novas modalidades do Refis (pelo menos R$ 20 bi) e o pagamento do bônus do campo de Libra (R$ 15 bi). Ainda assim, este será o menor resultado fiscal (como percentual do PIB) desde 1998.

O desafio fiscal será ainda maior neste ano. Sem as receitas extraordinárias, que têm pouca ou nenhuma chance de se repetirem em anos futuros, o valor do superávit cairia pela metade. O gasto do governo cresceu mais uma vez em velocidade maior que a da expansão do PIB. Esse aumento da despesa não alargou os recursos para investimentos. Com um cenário econômico de inflação no teto da meta, baixo crescimento e déficit externo crescente, o ano de 2014 promete ser complexo. Tudo indica que a política fiscal seja novamente expansionista, especialmente por ser 2014 um ano eleitoral.

Ed.340

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…