Desemprego aumentará em 2015

Por Thiago Custodio Biscuola, da RC Consultores

O Ministério do Trabalho divulgou ontem a pior geração líquida de vagas para meses de novembro desde o surto da crise em 2008. No total o Brasil gerou apenas 8,3 mil postos de trabalho, contrariando as expectativas que eram de demissão líquida. Em linha com essa perda de dinamismo, o IBGE divulgou hoje o aumento da taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do Brasil. Segundo o instituto, a taxa de desocupação alcançou em novembro 4,8%, patamar acima dos 4,7% verificados em outubro de 2014. Em relação a novembro de 2013, o nível atual também superou o registrado naquele mês, 4,6%.

A forte retração da indústria e a desaceleração dos serviços têm motivado não só a falta de ímpeto das contratações, mas também o grande número de desligamentos. Se levarmos em conta o acumulado nos últimos 12 meses encerrados em novembro, a indústria de transformação fechou 167,9 mil vagas, sendo os setores mais prejudicados pela crise o da indústria de material de transporte (- 42,3 mil vagas), indústria metalúrgica (- 27,5 mil) e indústria têxtil e de confecções (- 20,4 mil). O setor de construção civil também sofre. Nos últimos doze meses houve demissão líquida de 69,3 mil pessoas. Comércio e serviços também contrataram menos este ano. O ciclo de demissões tende a continuar, principalmente com a perspectiva de aumento dos juros e ainda maior enfraquecimento da demanda interna. Os ajustes necessários em 2015 farão com que o mercado de trabalho tenha mais um ano difícil. A RC Consultores espera que a taxa de desemprego volte a subir pela primeira vez desde 2009, encerrando 2015 com uma taxa média de 5,5%, contra 4,9% deste ano.

Comentários

comentários

Posts relacionados

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito cai 1,1% no semestre

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 1,1% no 1º semestre do ano quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Na variação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017)…

Inadimplência do consumidor cai 0,8% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

A inadimplência do consumidor caiu 0,8% no 1º semestre de 2017, na comparação com o 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 3,1%. Na avaliação mensal dessazonalizada, a…