Desequilíbrio fiscal permanece no Brasil

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

O resultado fiscal do Governo Central para o mês de outubro foi mais uma vez decepcionante. O superávit primário, que é a economia necessária para o pagamento dos juros da dívida brasileira, foi de apenas R$ 5,4 bi em outubro, o pior resultado desde 2004 para o respectivo mês. No ano, o superávit acumulado é de apenas R$ 33,4 bi, ou seja, 45% da meta de R$ 73 bi estipulada para o ano de 2013. Restam apenas dois meses para pouparmos os outros 55% restantes, equivalentes a R$ 40 bi.

No entanto, segundo o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, a situação está sob controle e o alcance da meta em 2013 é “factível”, dada a expectativa de um resultado “histórico” em novembro. E é aqui que está o problema, uma vez que grande parte dos recursos esperados para o próximo mês tem caráter apenas pontual e não frequente para os próximos meses. O bônus pago pela concessão de Libra (R$ 15 bi) e a adesão das empresas ao programa de parcelamento de dívidas com a União – Refis (R$ 16 bi) devem contribuir significantemente para o resultado de novembro, mas novamente, será apenas neste mês de novembro. O que realmente fica para os próximos meses e anos é a discrepância entre o crescimento das receitas e despesas do Governo Central. No acumulado até outubro as receitas registram crescimento de 8%, enquanto as despesas já alcançam patamar de 14% de alta. A trajetória de médio prazo para o resultado fiscal não está em equilíbrio no Brasil.

Ed.323

Comentários

comentários

Posts relacionados

Demanda por Crédito do Consumidor cai 0,7% no 1º semestre, segundo Boa Vista SCPC

A Demanda por Crédito do Consumidor caiu 0,7% no 1º semestre de 2017, em comparação ao 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação interanual, junho apresentou estabilidade nos dados, enquanto nos valores acumulados em 12 meses (julho de 2016 até junho…

Movimento do Comércio cai 3,2% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, caiu 3,2% no acumulado no ano (1º semestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12…

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…