Dilma promete priorizar a redução de impostos em 2013

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

A presidente Dilma afirmou ontem ser prioritária a redução de impostos: “no próximo ano, essa vai ser uma das minhas maiores lutas, a redução de impostos”, disse a Presidente na entrega do prêmio Finep de inovação. No discurso, Dilma afirmou que o conjunto de medidas anunciadas nos últimos meses, visando “desatar nós”, inclusive com redução de impostos, vai levar o Brasil a um crescimento “sistemático e sustentável”. 

De fato, ainda que muitos nós precisem ser desatados na área de infraestrutura, o Brasil só conseguirá aumentar a competitividade quando o TEGE for eliminado. TEGE é Tributo Excessivo, Gasto Estéril. A tributação excessiva na mão de obra, na energia, nos bens de capital e nos insumos faz explodir o custo, produzindo-se menos e mais caro. Parece que a Presidente está consciente do problema. Falta executar.

Ed.94

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…