Economia fraca impede piora do déficit comercial

Por Thiago Custodio Biscuola, da RC Consultores

A balança comercial brasileira registrou déficit pelo segundo mês consecutivo em outubro. No referido mês o déficit foi de US$ 1,2 bilhões. As vendas externas tiveram queda de 19,7% frente a igual mês de 2013. Importações, por sua vez, caíram 15,3%. Entre janeiro e outubro o saldo da balança está negativo em US$ 1,9 bilhões, praticamente mesmo patamar verificado em igual período do ano passado (US$ -2 bilhões). As exportações somam até agora US$ 192 bilhões, nível 4,2% inferior ao de 2013. Este resultado se deve, em grande parte, à queda da cotação internacional das principais commodities brasileiras. Somente o minério e a soja acumulam queda no ano de 40% e 27,4%, respectivamente.

O resultado da balança comercial só não é pior porque as importações declinam praticamente no mesmo ritmo das vendas externas. O fraco desempenho da economia brasileira este ano tem provocado o declínio da absorção de bens estrangeiros. O varejo desacelera e consigo acarreta a redução da venda de bens de consumo, enquanto a indústria continua patinando. Segundo o IBGE, a produção industrial brasileira voltou a cair em setembro, registrando queda 0,2% frente a agosto na série livre de influências sazonais. No ano, o segmento registra redução de 2,9%. A retração da indústria tem reduzido as compras de insumos industriais no estrangeiro. Da mesma forma, o recuo dos investimentos tem diminuído as importações de máquinas e equipamentos. A falta de competitividade de nossa indústria impede uma retomada das exportações. Nossa vizinha Argentina, grande demandante de nossos bens manufaturados, passa por um período de turbulências. O sinal vermelho está reluzente para a economia brasileira, e caso não haja um maior senso de urgência e uma aceleração das reformas, o ajuste se tornará cada vez mais penoso.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…