Efeito externo

Desde o final do ano passado e início de 2015 as mudanças de política para o setor externo provocaram grande turbulência no mercado cambial: o dólar que fechou 2014 em R$ 2,65 chegou a atingir R$3,26 em meados de março, uma alta de mais de 20% da moeda americana frente ao real. Apesar de tal valorização ocasionar diversos efeitos colaterais na economia, dentre os mais nocivos o impacto inflacionário, o efeito sobre a Balança Comercial ainda ocorre de forma tímida. Em outras palavras, o encarecimento do dólar deveria amenizar a demanda por produtos do exterior, além de também gerar benefícios ao setor exportador, conforme esperado pelo mercado.

Contudo, a nota divulgada pelo Banco Central hoje revelou-nos que as transações correntes apresentaram déficit de US$6,9 bilhões em abril, acumulando, nos últimos doze meses, saldo negativo de US$100,2 bilhões, equivalente a 4,53% do PIB. Em março, este valor havia atingido 4,57% do PIB, mantida a base de comparação, ou seja, permaneceu praticamente estável.

Em termos de volume de recursos aportados no país – denominados Investimentos Diretos no Pais (IDP) -, abril registrou um montante de R$5,8 bilhões, superior à previsão da autoridade monetária e também das expectativas de mercado, mas que ainda assim não foram suficientes para “tapar o buraco” das transações correntes. Em termos comparativos o IDP contabiliza 3,96% do PIB, no acumulado em 12 meses, distante do registrado nas transações correntes.

Para os próximos meses, enquanto o alinhamento da política fiscal se arrasta e compromete cada dia mais o resultado econômico do ano, o setor externo, que já foi um dos principais fatores responsáveis pela grande pujança econômica da década passada, mostra-nos que dificilmente poderá ser um fator que poderemos contar para amenizar o mau desempenho de 2015.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,79% em agosto

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 1,79% em agosto, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,34 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente a julho (quando o nível foi de 1,90%),…

Para 46% dos consumidores, o Cadastro Positivo tem como principal benefício auxiliar na obtenção de crédito e contratação de financiamentos

Em pesquisa inédita com consumidores de todo o Brasil, a Boa Vista SCPC identificou que para 46% dos entrevistados, o Cadastro Positivo tem como principal objetivo auxiliar na obtenção de crédito e na contratação de financiamentos. Outros 26% acreditam que o banco de dados com informações positivas sobre consumidores classifica de forma mais assertiva e…

Movimento do Comércio sobe 2,2% em agosto

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 2,2% em agosto quando comparado a julho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (setembro de 2016…