Escassez de dólar provoca default de província argentina

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Ontem foi divulgado que a província de Chaco, na Argentina, pagou em pesos, os juros de uma dívida emitida em dólar. O default foi de apenas US$ 250 mil. O valor é irrisório e a província argentina tem apenas 2% da população. O que chama atenção, no entanto, é que o evento gerou incerteza no mercado em função de todo o contexto que existe na Argentina. A dívida externa argentina é de US$ 150 bilhões, 30% do PIB. As reservas internacionais montam US$ 45 bilhões.

A Argentina enfrenta, além da dificuldade do balanço de pagamentos, um sério problema do déficit orçamentário das províncias. Consultorias projetam o rombo das contas provinciais, incluindo juros da dívida, em cerca de US$ 6,5 bilhões. Com a desaceleração do PIB argentino a queda da arrecadação apresenta recuo acentuado. Os governadores começam a cortar pagamentos em pesos. Soma-se a isso a escassez de dólar que há na Argentina, impedindo as províncias de honrarem seus pagamentos em dólar. O cenário regional se agrava e atrapalha o Brasil, cuja indústria tem vários segmentos voltados à exportação para a nossa vizinha economia.

Ed.51

Comentários

comentários

Posts relacionados

Número de novas empresas cai 3,8% no 2º trimestre

No 2º trimestre de 2017 o número de novas empresas caiu 3,8% em relação ao trimestre anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Assim, o resultado configura a primeira queda para esse trimestre desde o início da série histórica (2003). Ainda assim, os valores acumulados no…

Vendas para o dia dos pais recuam 0,5% em 2017

As vendas do comércio para o dia dos pais diminuíram 0,5% em 2017 quando comparadas a 2016, segundo dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O recuo das vendas nesta data foi mais fraco do que o observado em 2016, quando o comércio retraiu 5,2% em relação ao mesmo período de…

Recuperação de crédito cai 1,7% no acumulado 12 meses

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 1,7% na variação acumulada em 12 meses (agosto de 2016 até julho de 2017). A variação mensal com dados dessazonalizados apresentou queda de 6,4% contra o mês…