Estudo mostra fragilidade do setor de transporte

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Estudo realizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), apontou que o Brasil precisaria aumentar em três vezes os índices de desempenho da infraestrutura de transportes nacional para chegar aos melhores níveis praticados pelos competidores internacionais. O estudo assinalou que a malha rodoviária, a maior do país, é 43% menor que o padrão internacional.  O custo do frete rodoviário no Brasil é 270% maior que a média de excelência mundial. No caso do transporte ferroviário, o frete é 16 vezes maior que o padrão praticado no mundo e a extensão da malha está 93% abaixo do ideal. O estudo conclui que “os investimentos realizados no Brasil nos últimos 12 anos na área de transporte estão muito aquém das necessidades”.

No mesmo dia em que a Fiesp apresentou o estudo, o governo Federal informou que as obras de infraestrutura sofrerão atrasos.  No setor de transporte ferroviário, as concessões incluídas no pacote de logística no ano passado serão licitadas somente em 2014. Não por acaso o Brasil aparece em 52º lugar em um ranking de produtividade em infraestrutura da The Economist comparando 82 países. Sem uma política consistente de aumento de investimentos em infraestrutura, será impossível ao Brasil se impor como um player importante na economia global.

Ed.179

Comentários

comentários