Expectativa pode aliviar o comércio

Por Flávio Calife/Izabel Faez

A Boa Vista SCPC divulgou o indicador do Movimento do Comércio em 26 de abril, apontando um recuo de 7,1% nas vendas acumuladas no primeiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano anterior. Os dados anteciparam os resultados oficiais divulgados hoje pelo IBGE, que registraram queda de 7% no mesmo período.

O cenário para o setor ainda continua sombrio para 2016. O resultado do IBGE é o pior para o trimestre desde o início da série histórica em 2001. Dificilmente as vendas não fecharão o ano com nova queda significativa. Por hora, a projeção é de queda de 4,0% no ano.

Mas o que esperar para o cenário futuro? Já se sabe que a baixíssima confiança do consumidor (o indicador registrou o mínimo histórico em abril), abalada pelo desemprego, queda da renda, aumento dos preços e dos juros, associada ao conturbado ambiente político-econômico tem determinado o cenário desanimador para o comércio. Mas os comerciantes parecem começar a esboçar algum otimismo quanto ao futuro.

Os últimos dados sobre a confiança do comércio, em abril, ainda mostram uma piora da avaliação sobre a situação atual: a demanda permanece desfavorável e o crédito escasso. Mas para os próximos meses, o pessimismo vem diminuindo, o indicador de expectativas futuras registrou alta em abril. E o principal responsável para esse resultado foi a evolução no grau de otimismo quanto a situação dos negócios em um horizonte de 6 meses.

Esse dado é um alento em meio a tantos resultados recentes desapontadores. Se o movimento de melhora na expectativa futura se confirmar, melhores dias para o comercio estão por vir.

Comentários

comentários