Falta de competitividade faz Brasil perder mercado

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O jornal O Globo de hoje destaca que o rombo da indústria na balança comercial chega a US$ 100 bilhões. O resultado do segmento de manufaturas passou de superávit comercial de US$ 5 bilhões em 2006 para déficit de US$ 95 bilhões em 2012. As projeções do governo indicam que este ano o déficit da indústria vai atingir US$ 100 bilhões.

As dificuldades que a economia mundial enfrenta poderiam ser uma justificativa para o mau desempenho das exportações. Mas não. A queda pouco tem a ver com a crise ao se comparar a exportações brasileiras com as importações dos principais mercados. A China, principal comprador de produtos brasileiros, está importando 8,4% mais do resto do mundo, mas as exportações brasileiras diminuíram 2,2%.  O mesmo acontece com Estados Unidos, Argentina e Chile, que aumentaram suas importações, mas as vendas brasileiras para esses países diminuíram. Se por um lado, as relações comerciais do Brasil com os principais parceiros não têm merecido a devida atenção do governo brasileiro, a falta de competitividade dos produtos brasileiros, com a alta carga tributária, infraestrutura deficiente e política educacional falha, tem ajudado concorrentes a tomar mercado que era do Brasil.

Ed.178

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…