Forte queda da bolsa de Tóquio confirma a alta volatilidade dos mercados

Por José Valter Martins de Almeida,  da RC Consultores

O índice de atividade do setor manufatureiro da China, medido pelo HSBC, recuou para 49,6 pontos, ante 50,4 pontos em abril. O nível abaixo de 50 pontos indica contração de expansão da atividade. Também ontem, Bernanke admitiu que o Federal Reserve dos EUA poderá abrandar o ritmo de compras de ativos como forma de apoiar a economia.  A combinação dessas duas notícias foi a justificativa para a bolsa de Tóquio recuar 7,3%. Foi a mais forte correção desde março de 2011, quando o Japão sofreu um terremoto e um tsunami.

A queda de 7,3% da bolsa de Tóquio indica a alta volatilidade dos mercados. Como a RC Consultores tem alertado, ela deve permanecer alta. Os mercados continuam muito líquidos, com poucas alternativas onde aplicar. A frágil retomada da economia mundial está baseada em injeções maciças de dinheiro pelos Bancos Centrais.

Ed.191

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,5% em julho

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,5% em julho quando comparado a junho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (agosto de 2016…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

PNAD: Rendimentos apresentam leve melhora no 2T17

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), os rendimentos reais dos trabalhadores apresentaram melhora em todas as regiões quando avaliadas os valores acumulados em 4 trimestres. A Região Nordeste registrou a primeira marcação positiva (1,6%), ao lado da região Sudeste (0,1%) e Centro Oeste (0,8%). Em relação ao mesmo período…