A geopolítica europeia volta ao debate

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Para alguns historiadores, faz hoje cem anos que começou a Primeira Guerra Mundial. Para alguns, há ainda cicatrizes abertas. Com a queda do muro de Berlim, uma nova geração de jovens cresceu acreditando que a Europa estaria predestinada a um futuro de paz, ainda que assistindo a conflitos com graves implicações como no Iraque e no Oriente Médio. Contudo, a crise ucraniana, com mais de mil civis mortos e a recente queda do Boeing da Malasya Airlines, presumidamente causada pelos separatistas russos, despertou fantasmas do passado, colocando a geopolítica europeia no centro do debate. A Ucrânia é importante para a União Europeia e essencial para os russos.

Desde a tomada da Crimeia, Europa e EUA impuseram sanções aos russos. Se de um lado as sanções e declarações oficiais dos EUA endurecem e aumentam o tom, os líderes europeus assumem posição mais tímida. Isso se explica porque os custos para a Europa de enfrentar Moscou são mais elevados. A Alemanha depende de 35% do gás russo, 4% de suas exportações vão para a Rússia e mais de seis mil empresas alemãs operam na Rússia. A França tem um contrato milionário de venda de material militar com a Rússia e o Reino Unido tem seus mercados abertos aos capitais e milionários russos. Ainda assim, as medidas anunciadas até o momento têm tido efeito. Se olharmos para o comportamento dos mercados, o rublo continua sobre pressão. Estima-se que US$ 74 bilhões já deixaram a Rússia este ano. O governo russo já cancelou, até julho, nove leilões de dívida devido a “condições desfavoráveis”. Os investidores já começam a questionar o tempo que Moscou pode aguentar sem financiamento do mercado. Tudo indica que as sanções vão aumentar, e a Europa estaria mais disposta a enfrentar Moscou. A geopolítica europeia está de volta e os riscos econômicos aumentaram.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,10% em abril, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 2,10% em abril, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve diminuição (em março o nível foi de 2,29%),…

Boa Vista SCPC: Demanda por Crédito do Consumidor cai 2,3% em abril

A Demanda por Crédito do Consumidor caiu 2,3% em abril com ajuste sazonal frente a março, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Já na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (maio de 2016 até abril de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve desaceleração da…

Movimento do Comércio cai 1,0% em abril, diz Boa Vista SCPC

Dados do varejo apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), apontam que o Movimento do Comércio caiu 1,0% em abril, considerando as informações mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (maio de 2016 até abril de 2017) houve queda de 3,4% frente aos 12 meses antecedentes. Já na…