Índia chega a Marte e vence corrida de eficiência

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Parece até notícia forjada. Mas é verdade. A Missão Orbital a Marte (MOM – Mars Orbiter Mission) iniciada em 01 de dezembro de 2013, quando partiu o foguete indiano em direção ao planeta vermelho, cruzando 100 milhões de km em nove meses foi concluída com duplo sucesso, ontem, quando o satélite indiano entrou na órbita de Marte, despregando-se da nave principal. O primeiro ministro da Índia, Narendra Modi, comemorou como um dia histórico. A Índia conseguiu o que nem China ou Japão ainda alcançaram. Apenas os EUA (3) e Europa (1) têm satélites orbitando Marte. Trata-se de uma missão cheia de desafios tecnológicos enfrentados pelo ISRO (Indian Space Research Organisation).

O mais surpreendente é os indianos haverem vencido o desafio financeiro e burocrático dessa missão espacial – problema de qualquer economia emergente – de realizar tal façanha com um orçamento infra curto de US$ 72 milhões. O recente filme “Gravidade”, com George Clooney e Sandra Bullock, uma ficção espacial, custou mais caro. A última missão a Marte dos americanos, que chegou lá na semana passada, custou-lhes US$ 671 milhões. O programa indiano foi muito criticado com os argumentos de sempre, quantas escolas ou hospitais poderiam ter sido construídos. Óbvio equívoco dos críticos, já que a pesquisa e a inovação têm que avançar junto com os programas sociais. Tanto mais se são realizadas de modo tão eficiente na ótica financeira. Em contrapartida, no fim do ano passado, o Brasil tentou orbitar em volta da Terra um satélite sino-brasileiro (CBERS 3), lançado de uma base chinesa. Mas a propulsão falhou. Foram perdidos R$ 160 milhões. Realmente, o desafio competitivo do Brasil na corrida por uma projeção tecnológica mundial, em especial no conjunto dos BRICS, é enorme.

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…